Qual a vida útil de um painel fotovoltaico?

Com o avanço tecnológico os painéis solares modernos passaram a utilizar componentes que permitem a manutenção do seu funcionamento por muitos e muitos anos sem que ocorra a necessidade de substituição de peças e principalmente a perda de eficiência na produção elétrica. Então descubra por que a vida útil de um sistema de energia solar fotovoltaica é cada vez maior e veja por que ele tem o melhor custo-benefício do mercado.

Equipamentos feitos para durar

Principalmente por ficarem expostos as diversas mudanças climáticas que naturalmente ocorrem ao longo dos anos; por necessidade, um painel solar é construído para ser o mais resistente possível e, por isso, hoje em dia, a maioria das empresas especializadas estima que a vida útil de um sistema de energia solar fotovoltaica pode se estender em até 40 anos.

Além disso, como o desempenho dos painéis fotovoltaicos não demanda o uso de softwares, processadores e outros componentes que precisem ser atualizados ou trocados com frequência, como vemos em celulares, computadores e produtos similares, os fabricantes já dão garantias que chegam, em média, a 25 anos.

Outro grande benefício de se ter materiais cada vez mais resistentes e robustos para a construção dos painéis solares é o baixo custo de manutenção, que fica próximo de zero nos primeiros anos.

Hoje, as empresas que utilizam a matéria-prima mais moderna, como acetato-vinilo de etileno (EVA), alumínio anodizado e cristais de silício ultrapuros, entre outros, garantem que a eficiência do sistema fica acima dos 90% na primeira década e se mantém na faixa dos 80% nos 25% primeiros anos de uso.

Manutenção do painel solar

Mesmo sendo comprovadamente durável, para garantir a eficiência e a vida útil de um sistema de energia solar fotovoltaica, com o passar dos anos, é preciso fazer algumas manutenções preventivas, por exemplo, realizar a limpeza periódica dos painéis para reduzir o risco de avarias por tempestades, dejetos de animais pequenos e aves, folhas, galhos, fuligem ou pelas partículas de poluição que existem no orvalho e na chuva, especialmente nas grandes cidades.

Em geral, a recomendação é que essa manutenção ocorra a cada seis meses ou pelo menos uma vez por ano.

Além disso, é recomendado que a limpeza seja feita sem a utilização de produtos químicos abrasivos, pressurizadores com jatos diretos ou itens que possam ser perfurantes. Ou seja, a manutenção preventiva deve ser feita utilizando apenas água e um pano limpo ou uma esponja de cerda macias, sempre tendo o cuidado de evitar impacto, pressão ou atrito sobre as placas.